Como surgiu a profissão de youtuber?


A profissão de youtuber

Como surgiu a profissão de youtuber? Quando a internet chegou ao Brasil no inícios dos anos 90, os meios de comunicação físicos também dominavam os portais digitais. Um exemplo prático: o primeiro portal, a UOL, sempre foi uma extensão do jornal Folha de S. Paulo.

Como o país tinha grande número de analfabetos (cerca de 20% da população), especialmente entre as classes mais humildes, criar um blog e escrever para um público era intimidador.

As famílias mais abastadas eram quem tinham controle da internet. Até o advento do Orkut. O Orkut representa a democratização da internet. Qualquer um com acesso à internet poderia criar uma conta, participar de comunidades, postar fotos, interagir com amigos e expor opiniões.

Não havia perfis com mais ou menos benefícios; todos eram virtualmente iguais. Quem nunca participou dessa comunidade?  Com a morte do Orkut e a popularização do Facebook no Brasil, também veio o termo “orkutização”.

Termo pejorativo, significa a inclusão e participação de pessoas de baixa renda em uma rede social. Hoje quem tem visibilidade na internet não é necessariamente quem tem dinheiro.

Quem tem poder no mundo virtual é qualquer um que sabe influenciar pessoas. A imprensa controla cada vez menos a divulgação de informação e a formação de opinião.

Chegou a era dos influenciadores digitais.

O primeiro criador brasileiro

Guilherme Zaiden é considerado o primeiro youtuber. No início, o YouTube basicamente continha vídeos de animais ou estilo “cassetadas”. Em 2006, ele foi o primeiro a interpretar personagens em quadros de humor.

Os vídeos eram gravados com uma câmera amadora e editado no Movie Maker. O vídeo mais conhecido você confere (ou relembra) abaixo:

Paulo César Siqueira, ou PC Siqueira, é considerado o primeiro vlogger (pessoa que discute temas do cotidiano em formato de vídeo).

O esquema de sentar em frente a câmera e “conversar” com quem assiste foi importado dos Estados Unidos.

Há mais de 580 mil canais brasileiros no YouTube. Destes canais, cerca de 400 contém mais de 1 milhão de inscritos.

A média de ganho desses youtubers é de apenas U$100 a U$200 por mês. Ou seja, o número de criadores de conteúdo está com alto crescimento, mas os salários não crescem na mesma proporção.

Os influenciadores digitais encontram no Marketing de Influência um meio de fazer propagandas e recomendações ao público de produtos e serviços que apreciam.

Estudo *algumas informações desse post foram retiradas durante a Palestra YouTube Creator na Campus Party 2018