Como tornar a campanha com influenciadores eficaz


Campanha com influenciadores

As marcas estão descobrindo que campanhas orientadas por influenciadores digitais são uma das ferramentas de marketing mais eficazes.

Um estudo citado pela eMarketer (empresa destinada ao estudo do marketing digital) descobriu que o envolvimento do consumidor com o conteúdo de campanhas gerado por influenciadores foi maior que o criado por marcas internas.

Alguma ações foram 100x mais eficientes. Por isso, à medida que marcas e agências implementam formadores de opinião nas estratégias de marketing, há oportunidades de tornar essas campanhas criativas ainda mais efetivas.

Abaixo estão algumas das práticas que garantem que a próxima ação de influência obtenha o maior ROI:

Alinhe campanha certa com plataforma certa

É raso pensar que, se o influenciador é popular em uma mídia social, deve-se se investir em todas as plataformas que ele está inserido. É fundamental que os profissionais de marketing gastem certo tempo determinando qual mídia se encaixa melhor com a campanha.

O YouTube é o melhor para visualizar vídeos, mas o Instagram é o mais adequado se sua ação envolve imagens.

Enquanto isso, o Facebook se destaca pelas lives (transmissões ao vivo) do influenciador; e Snapchat é ótimo para ações que envolvem lugares físicos. Determina os objetivos da campanha, os pontos fortes do influenciador digital e o formato de conteúdo ideal – a partir daí, trabalharemos.

Escolha relevância, não tamanho

Considerar o público-alvo é o primordial para eleger que tipo de criador de conteúdo é o mais apropriado para a marca.

É tentador optar por grandes nomes mas, para ter sucesso, a prioridade deve ser a parceria com um influenciador cujo público é mais relevante do que os números de alcance crus.

Considere fatores como: gênero, localização geográfica, renda, etnia e religião dos consumidores.

Vá além da plataforma

Obviamente, as mídias sociais são o epicentro das campanhas de marketing de influência. Afinal, foi na internet que esses “novos famosos” desenvolveram sua base de fãs.

Mas há oportunidades de estender esses tipos de campanhas para o mundo offline e outras formas de publicidade mais “tradicionais”.

É possível ampliar o conteúdo criado pelo influenciador para outdoors, mostruários de lojas de varejo ou cinemas. Guie-se pela pergunta: Onde o público-alvo passa o tempo?

Exemplos Este ano, a SBT convidou influenciadores digitais para serem embaixadores do Teleton 2017. A XVIII Bienal do Livro do Rio também fez a mesma aposta. A youtuber Kéfera Buchmann na Bienal do Livro/ Fonte: Junta7

A Universal Pictures escolheu a influenciadora e bichoterapeuta Luiza Cervenka para criar um vlog sobre a pré-estreia do filme “PETS – A Vida Secreta dos Bichos”. Luiza Cervenka

A marca de roupas e calçados Passarela usou apenas influenciadores como modelos na nova campanha de verão: https://youtu.be/EPJ6TPCPIV8

Deixe o influenciador no comando

Por décadas, a publicidade existiu por meio unidirecional. As marcas apresentavam a mensagem que queriam compartilhar com os consumidores, e esses escolhiam ouvir ou ignorar.

Graças ao aumento das redes sociais, os consumidores de hoje conversam e são participantes ativos nas campanhas de marketing e conteúdo de marca.

É importante ter isso em mente ao colaborar com os criadores as ideias da ação. Minimize interferências e, além disso, certifique-se de permitir ao influenciador espaço para criar.

São eles quem sabem o que melhor funciona com o público deles.

Cultive relacionamentos para campanhas de longo prazo

Campanhas com influenciadores digitais ainda são consideradas novidade, sendo tratadas como experiências feitas apenas uma única vez. Mas quando se trata de mídia social, ações de longo prazo são essenciais.

Os youtubers e instagrammers mais populares passaram anos cultivando o público que têm.

Enquanto uma campanha única de marketing de influência pode oferecer um “impulsionamento” rápido, é somente através do relacionamento sustentado ao longo prazo com os influenciadores que esse tipo de parceria começa a pagar dividendos; tanto na contagem de seguidores, quanto no engajamento orgânico.

Fonte