Globo se rende à internet e ao Choque de Cultura


As redes sociais bombaram neste domingo (30), à tarde. Após o programa Temperatura Máxima, da Globo, o Choque de Cultura apareceu de surpresa na emissora para fazer um programa sobre o filme que havia acabado de passar. No caso, “A Era do Gelo 4”. O caso foi bombástico, principalmente, por dois motivos: não havia sido feita nenhuma divulgação e Choque de Cultura+Globo é uma combinação no mínimo improvável.

E ainda tem o fato do grupo ter ficado fora de ação por meses sem determinar quando seria sua volta. Mas isso não vem ao caso. O foco aqui será esse segundo motivo, a parceria entre o Choque e a maior emissora do país.

Inesperado, não é mesmo? Sim e não. Já falamos há tempos que a Globo está se abrindo aos poucos para o mundo virtual. Porém, não era esperado que seria tão cedo assim.

O grupo mesmo já havia aparecido duas vezes recentemente na emissora. Uma no Programa do Bial e outra no Zero1, do Tiago Liefert. A diferença é que esses dois programas passam de madrugada.

Há uma grande diferença entre essas aparições e um programa só para eles, momentos antes da partida de domingo do campeonato Brasileiro, um dos horários de maior audiência da Globo.

O que essa parceria representa?

Mas não estou aqui para falar sobre o quanto eu sou fã do Choque de Cultura ou se gostei ou não dessa parceria. Até porque já fiz post sobre o grupo (se quiser ler, clique aqui). O foco do texto será analisar o que representa essa parceria.

Para mim, ela é uma confirmação de que a TV aberta está extremamente preocupada com a internet e o YouTube. Já falei anteriormente que ou a televisão passa a utilizar o online ou ela vai quebrar de vez.

E, enquanto as outras emissoras vem se aproximando da internet aos poucos, a Globo parecia soberana com a predominância do conteúdo televisivo. Até pouco tempo atrás, ela nem sequer falava o nome de youtubers e das redes sociais. Bom, deu para perceber que não é mais assim.

A TV é refém da internet. Isso não ocorrerá no futuro, já está acontecendo hoje. Sobretudo com o YouTube. A liberdade criativa, o on demand (assistir quando e como quiser) e a variedade absurda de conteúdo tornam essa competição desigual. E, para mim, o Choque ganhar espaço na Globo, pouco antes das 16h, em um domingo, foi a gota d’água. Além disso, o conteúdo está disponível em mais de uma plataforma online da emissora para o público assistir quando, quantas vezes e pelo aparelho que quiser.

Trazer alguns dos youtubers mais famosos da atualidade para a sua emissora, em horário de audiência alta: esse fato representa a internet tomando o controle definitivo das mídias.