Como será o marketing na era da inteligência artificial?


Atualmente vivemos na era da inteligência artificial. Empresas como Amazon, Google, Apple lançaram suas próprias plataformas com assistentes mais qualificados. E esse cenário pode não só mudar nossa forma de interagir com o mundo como também o marketing como o conhecemos.

Leia também: Conheça as principais futuras tendências da Internet das Coisas

Embora não há nenhuma que chegue nas capacidades abrangentes da personagem Eva, do filme “Wall-e” (2008), o objetivo é chegar perto. Assistentes de inteligência artificial estão colonizando rapidamente as casas dos consumidores. É estimado que o número de vendas da Alexa ou do Echo, por exemplo, devem dobrar até 2020. No caso da Alexa, é preciso levar em consideração os milhões de dispositivos que podem hospedar a assistente.

Devido a todo esse crescimento de dispositivos e desenvolvimento de tecnologia, os efeitos no panorama dos negócios serão de grande alcance.

As tecnologias revolucionam o modo como consumidores interagem com o mercado. E, na era da inteligência artificial, elas também tendem a reconfigurar sua dinâmica, remodelando as empresas. Plataformas e assistentes de IA tendem, então, mudar o jogo para marcas e varejistas. Isso porque vão alterar o poder relativo dos participantes na cadeia de valor. E também a base da competição.

Por isso, serão mostradas as mudanças de curto prazo esperadas para a implicações de novas estratégias de marketing.

Marketing na era da inteligência artificial

É esperado que apenas algumas plataformas de propósito geral mantenham-se existentes. A maioria dos consumidores usará apenas uma entre várias, já que a assistente será incorporada nas casas, carros e dispositivos móveis.

No caso, a plataforma vai reunir e fornecer informações. Junto com isso, a assistente dessa era da inteligência artificial funcionará como um portal para um infinito shopping de bens e serviços. E isso vai resultar em uma troca de informações. Afinal, quanto mais os consumidores usarem a plataforma, melhor será o entendimento do mercado quanto aos hábitos, preferências e necessidades.

Com este cenário da era da inteligência artificial, a obsessão dos profissionais de marketing com a criação de uma experiência de cliente desaparecerá. Afinal, as plataformas vão se tornar um poderoso meio de marketing.

Além de canal de vendas, distribuição e centro de atendimento. A concentração dessas funções para um só ambiente dará aos proprietários uma enorme influência. Principalmente sobre os preços, promoções e o próprio relacionamento do consumidor.

Atualmente, o sucesso das marcas vem muito da capacidade de sinalizar a qualidade e conquistar a lealdade do cliente. Contudo, na era da inteligência artificial, profissionais do marketing podem descobrir que consumidores mudam a fidelidade das marcas para uma plataforma de IA.

Leia também: Quais são as três eras do marketing?

Nesse caso, as atividades que ajudam as marcas a consolidar as relações com cliente serão melhores executadas com as plataformas. Portanto, é esperado que o foco das marcas passe para o reforço das relações diretas com os consumidores para otimizar suas posições nas plataformas.

Contudo, haverão situações específicas nas quais a estratégia mais correta será a de manter relações fora das plataformas. Isso tudo vai acabar formando um impacto nas empresas em três níveis críticos: aquisição, satisfação e retenção de clientes.

Aquisição

Com dados agora sendo usados para criar um marketing direcionado, a aquisição de clientes se torna mais eficiente. No entanto, com falhas. Principalmente no fato de muitos anúncios serem direcionados àqueles sem boas perspectivas. Contudo, esses problemas vão perder força no futuro.

Na era da inteligência artificial, o principal alvo do marketing de marca mudará de consumidores esquecidos para as plataformas. Neste cenário, influenciar os algoritmos das plataformas será a principal chave para vencer.

Satisfação

Ela, então, irá gerar fidelidade. Consequentemente, participação de mercado e lucratividade. Uma plataforma atende aos consumidores, antecipando as suas necessidades. Para isso, deve coletar dados sobre padrões de compra e uso de produtos. Contudo, as mais sofisticadas plataformas de inteligência artificial irão mais longe na descoberta dos dados.

Vão chegar a saber até mesmo se os consumidores provavelmente adaptarão suas necessidades em diferentes contextos. Nisso, elas vão conseguir prever qual combinação de recursos, preços e desempenho é mais atraente para alguém em determinada situação.

Retenção

Profissionais de marketing presumem que compras repetidas indicam satisfação e lealdade. Mas nem sempre. Muitos clientes podem continuar comprando um produto porque não se incomodam em explorar alternativas, caso a marca esteja funcionando adequadamente.

Contudo, um assistente de IA pode reavaliar regularmente todas as marcas de qualquer categoria. O que pode resultar em uma recomendação de uma nova marca que pode funcionar melhor ao consumidor.

Essa reavaliação rotineira vai obrigar as marcas justificarem constantemente suas posições. O que deixa a competição mais intensa.

As marcas também vão poder usar as plataformas para conseguir clientes. O início, provavelmente, será marcada de promoções através dos assistentes IA. Nesta era, o segredo da diferenciação competitiva será projetar de forma constante ofertas que atendam aos critérios de evolução do cliente. Às marcas, isso vai se tornar um foco de inovação e também de desenvolvimento de melhores produtos.

Leia também: Conheça as principais tendências de marketing para 2019 FONTE