Pesquisa afirma que YouTube é responsável por popularidade da Terra Plana


ParQuem acompanha o YouTube já percebeu os inúmeros conteúdos com disseminação de conteúdos falsos. Após o Facebook e o WhatsApp serem destaque, foi a vez da plataforma de vídeos ganhar os holofotes. Isso porque o YouTube é o principal meio de disseminação de teorias sobre a Terra não ser redonda. A informação é de um estudo da Texas Tech University.

Leia também: WhatsApp: como sua influência está guiando as informações?

O estudo entrevistou 30 pessoas que acreditam na teoria. Dessas, 29 afirmaram que passaram a acreditar na teoria depois de assistir vídeos no YouTube. O estudo também mostra que muitos chegaram até esses vídeos a partir dos mecanismos de sugestões da plataforma.

A sugestão veio depois dos usuários assistirem conteúdos com teorias sobre 11 de setembro e sobre a ido do homem à Lua.

Para Asheley Landrum, líder da pesquisa, o YouTube não está fazendo algo errado. Porém, recomenda que os algoritmos da plataforma comecem a exibir vídeos com informações corretas. “Os algoritmos acabam apresentando informações às pessoas que serão mais suscetíveis a acreditar nelas”, diz.

YouTube x teorias da conspiração

Curiosamente, o estudo foi divulgado após o YouTube anunciar que dará menos destaque para vídeos com teorias da conspiração e desinformações. Segundo a declaração da empresa, o objetivo é reduzir as chances desses conteúdos extremistas chegarem aos usuários.

O anúncio, realizado em janeiro, trouxe a informação de que a ação afetaria menos de 1% dos vídeos. A plataforma também afirmou que esse tipo de conteúdo vai continuar para os inscritos dos canais desses vídeos. Assim, o que realmente mudará é a aparição deles como recomendação.

E olha que esse combate é antigo. No ano passado, o YouTube passou a exibir links para artigos em vídeos com conteúdos questionáveis. E desde então, a tentativa é forte, mas será que vai dar certo?

FONTES